PEC 534 APROVADA JÁ!!!

PEC 534 APROVADA JÁ!!!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

GUARDA MUNICIPAL DE CARUARU (PE): REQUERIMENTO SUGERE QUE GUARDAS MUNICIPAIS PORTEM ARMAS DE FOGO

Assunto foi discutido na Câmara de Vereadores de Caruaru. Atualmente 43 profissionais que exercem a função na cidade.
Um requerimento apresentado nesta terça-feira (10) na Câmara de Vereadores deCaruaru, no Agreste pernambucano, sugere que os guardas municipais passem a trabalhar armados. A ideia está amparada por uma Lei Federal do Estatuto do Desarmamento, que prevê o uso de armas por guardas em cidades com mais de 50 mil habitantes.
Em Caruaru existem, atualmente, 43 profissionais que exercem a função. O vereador Gilberto de Dora, autor do requerimento, acredita que esta é uma decisão que deve ser tomada em conjunto. "É importante que o Poder Executivo tome essa alternativa junto as autoridades competentes, sociedade civil e os próprios guardas municipais para que todos possam ter um entendimento só", disse. 
O guarda municipal Márcio Bezerra é a favor das medidas porque acredita que seria uma maneira de ajudar na segurança pública. "Nos deparamos com diversas situações no dia-a-dia e a gente acaba sem poder tomar algum tipo de iniciativa porque trabalhamos desarmados", disse.
Segundo o diretor-presidente da Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transporte (Destra), Coronel José Carlos da Silva, a criação da guarda municipal veio para tentar estabelecer maior proteção para a população. Ele falou sobre um plano que prevê o uso de um equipamento de choque pelos profissionais. "Nós solicitamos a aquisição de armamento de menor potencial ofensivo e entendemos que esse equipamento é o ideal para os nossos guardas municipais", afirma o diretor.
Sobre a possibilidade do uso de arma de fogo em serviço, ele informou que no momento não há possibilidade dos profissionais passarem por treinamento.


1 Comentários:

Helenhoana Laiza disse...

Apoio totalmente, o armamento da Guarda de Caruaru ajudará a coibir atos de vandalismo e violência em prédios públicos, escolas, praças e parques ambientais.